Idas Brasil - Turismo Minas Gerais

Matéria - São Thomé das Letras

Você não está num dispositivo móvel. Acessar VERSÃO CLÁSSICA.

Lendas e História

Texto e fotografia: Marcelo JB Resende. REPRODUÇÃO PROIBIDA.



Em muitos aspectos lenda e realidade
se misturam em São Thomé das Letras...




No que diz respeito ao surgimento da cidade, a lenda corrente diz que o escravo João Antão, após fugir da fazenda Campo Alegre, da família Junqueira, se refugiou em uma gruta. Lá passou alguns anos, se alimentando de frutas, da caça e da pesca, fartos naquela segunda metade do séc. XVIII. As razões da fuga não são bem esclarecidas, uns afirmam ser pelos maus tratos e outros defendem que o escravo mantinha um caso com a irmã do proprietário da fazenda, João Francisco Junqueira, que mandou matá-lo.

 

Seja como for, certo dia um velho muito apessoado e de vestes brancas apareceu diante de João Antão e, após ouvir sua história, lhe entregou uma carta. Recomendou ao escravo que a deixasse com o patrão e assim seria perdoado. A ordem do velho foi acatada. Ao ler a carta, Junqueira ficou impressionado com a boa caligrafia, redação e qualidade do papel, fatores inusitados naquele tempo. Além de perdoar João Antão, o fazendeiro organizou uma visita à gruta, na esperança de encontrar tal velho. Chegando lá a única coisa que encontrou foi uma imagem em madeira que acreditaram ser do apóstolo São Thomé.



Gruta de São Thomé, no centro.

Ao lado dessa gruta o capitão Junqueira mandou elevar uma construção que viria ser a Igreja Matriz (1785), com a pintura do teto hoje atribuída a José da Natividade, discípulo de Aleijadinho. Há quem diga que a construção da Igreja se deve às frustradas tentativas do capitão em levar a imagem para a fazenda. Como que por encanto ela sumia e só era reencontrada na gruta.


Obs: A estátua de São Thomé foi roubada em 1991 e não há sinais de seu paradeiro. Se você viu esta estátua, entre em contato com a redação da Revista Idas Brasil (Fale conosco).

 

Em compensação, na gruta de São Thomé, onde foi encontrada, ainda podem ser vistas algumas inscrições indecifráveis, meio apagadas pelo tempo. São esses desenhos os responsáveis pela denominação "das Letras". Como não poderia deixar de ser, são também alvo de controvérsias. Provavelmente foram feitas pelos índios cataguases, antigos habitantes da região. Entretanto, segundo algumas pessoas, não passam de fungos ou caprichos geológicos da natureza.


As inscrições também são encontradas em outros locais como, por exemplo, nas proximidades de Shangri-lá, vale do Canta Galo etc. Foram pouco estudadas por especialistas, o que dá margem a todo tipo de interpretação, inclusive a de que sumérios e fenícios seriam autores de algumas delas. A imaginação vai mais alto: existe uma que lembra, sem muito esforço, a figura de um tucano, uma cobra e um OVNI. Esta inscrição, aliás, foi criminosamente pichada por vândalos, que pintaram sobre ela o número da chapa de um político local.



Pinturas rupestres alimentam a imaginação.


Cachoeira da Eubiose.


Cachoeira Shangri-la.


       Indicar este site




Topo

Compartilhe


© 2015 - Idas Brasil Ltda.
Todos os Direitos Reservados